Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

INÊS MARTO

INÊS MARTO

Do Fundo do Baú #1 - "O Poder da Paz"

A chamada "porta de entrada" para esta "coisa" das letras, foi este poema que hoje aqui publico. Confesso que me constrange um bocadinho olhar para este tipo de coisas, quando escrevo uma coisa e no dia a seguir a acho simplesmente desensaibida, mas enfim...

Nono ano, há três anos atrás e já parece tanto tempo... uma vibração subcutânea inesperada que não sei explicar, depois de muitas tentativas falhadas... "Escorreu-me" assim este agora embaraço, algo curioso:

 

 

"O Poder da Paz"

 

Um rio de sangue corre

Nas veias de um ser

Que nas profundezas da mente

Tenta exprimir o que sente

Nas linhas deste poema:

 

 

Na sua mente inundada

Pela imaginação

Consumida pelo desejo

De ter paz no coração

 

 

Paz que procura nos versos de uma canção

Num poema apaixonante, ou num prado verdejante

Para tentar preencher o vazio incessante

Que sente na alma tão carente de paixão

 

 

 

 

 

Paixão profunda e ardente

Que aquece o coração

Distante, gélido e triste

Enquanto os pensamentos voam.

 

 

E lá no fundo da mente, inundada de imaginação

Se apaixona cantando os versos dessa canção

 

 

Voltou a correr, o rio de sangue

Nas veias do ser

Já não tão distante

 

 

Num mundo em que há ódio e melancolia

Onde a verdadeira paz

Se encontra na fantasia.