Sonho e sal

Chegaste sem avisar Como uma onda do mar, Matéria de sonho e sal, E ancoraste este amor Feito sede do licor Da tua essência fatal. Minha existência pesada Perdeu o norte e a estrada, Já não posso naufragar, Pois, num quente desvario, Entreguei o meu navio À sorte de te encontrar. E ao navegar em … Mais Sonho e sal

Avalie isto:

Dois sóis

Quem me dera ter tal sorte, Ser invisível assim, Um leve véu de cetim Que teu corpo sobrevoa Num deslizar sufocante, Barco de ânsia escaldante Com utopias à proa. E amar-te sem se ver, Parapeito de um segredo, Desejar-te sempre a medo Como fazem os poetas, Sem te dar cravos nem setas Só sonhos, mil … Mais Dois sóis

Avalie isto:

Miragem

Sem prenúncio do destino Como vento repentino, Cavalo desenfreado, Veio à tona do meu mar, Sem que o pudesse evitar, Este amor indesejado. O que fazer, já não sei, Porque quando reparei Era já tarde de mais. Quando ao olhar à janela, Vi a sereia mais bela Atracada no meu cais. E não sei se … Mais Miragem

Avalie isto:

Volátil

Dói-me o hoje, indefinidoFeito espuma volátil,Trilho de um casco partido. Dói-me a incerteza crua,Corpo de sereia nua,Sobre rochedos sem fim,Infinitude quebrada,Numa fogueira ateadaAlgures dentro de mim. Dói-me a inércia do tempo,Dentro de um peito apagado,Como esqueleto submersoDum navio naufragado. Dói-me o que não sei que seja,Sem ter corpo nem medida,Janela sem parapeito,Num precipício que é … Mais Volátil

Avalie isto:

Amor de fel

Se não congela, arrefece Não morre, mas desfalece Esbate, dissipa, esmorece Este amor que me enlouquece. E sonho, em jeito de prece Que se desfaça a memória De tamanha paixão inglória, Sentimento unilateral… Ópio, ânsia carnal, Queima a alma em esperança oca, O sabor daquela boca E os olhos cor de mel, Viciante amor de … Mais Amor de fel

Avalie isto:

Fadista…

Ao ombro traz o xaileNegro, traçado a preceito,Dá corpo e asas, cantandoA essência que traz no peito. À média-luz e guitarra,Com gesto forte e marcado:Silêncio, que com alma e garraSe vai cantar a nação, num fado. Saudade tão nossa e bela,Em poema musicado,Nessa voz que é caravela,Pelas ondas do trinado. E em timbre feito emoção,No … Mais Fadista…

Avalie isto:

Clímax

Sem fim, palavras chovem,Em vão, esperanças escorrem,Resvalam, por trilhos de sonhos cansadosTelhados de vidro, no chão, estilhaçados. Chovem letras de ouro, em terra batida,Em calçada suja, de pedra polida,Por passos, em dias perpétuos, pisada,Ilusão fugaz, ferida rasgada. São beijos voláteis, de lábios vermelhos,Tesouros sem mapa, navios de espelhos.Vertigem, orgasmo, mordaz pulsação,Indescritível clímax, doce criação!

Avalie isto:

Contra o tempo…

Fora de horas surgem palavras sem nexo… necessidade, vulcão, impulso, alucinação…Contra o tempo caem lágrimas, jorram versos, choram-se linhas sem fim nem poesia.Abafam a solidão os momentos de loucura.. A chama da criação é feita caminho de sentido único: a esperança de preencher um vazio, de acender a pele em faúlhas de absurdos sonhados, de … Mais Contra o tempo…

Avalie isto:

Boca de cena…

Corda bamba, arlequimMáscara, véu de cetim,Pluma em queda sem fim,Sobressalto, frenesim… Dúvida, loucura sãAmor, arte, esperança vãSuor, sangue, incertezaAlma, entranhas, pó, tristeza… Mãos, expressão, rugido, pancadas…Doces utopias, miragens sonhadas.Passos, uivos, asas, chão,Boca de cena, tábuas, coração… Pele, garras, voz, reflexoRitmo, tempo, silêncio convexo…Espelho, cortina, imensidão,Chuva imensa, ovação.

Avalie isto:

Alquimia

És cisne negro, garra, estilhaço…Leoa, espelho, vulcão, abraço…Trespassa-me o corpo, musa, sereia,Veias de fogo, alma de lua cheia. E quebra-me em pedaços sem fim, entãoSolta as amarras, liberta-me o coração…Vertigem, suspiro, poema alado,Instinto escondido, desejo amordaçado. Leva de mim a pele já gasta,Beija, morde, sente, rasga…Desnuda-me então, sem olhar ao tempo,E deita no chão o … Mais Alquimia

Avalie isto: