Bailado entre linhas

  E entrei de novo… entrei no quarto… a porta gemeu como quem chora de puro rancor, eu deixei-me cair no chão, no tapete estavam marcadas as garras do animal revoltado contra o mundo, o chão riscado, ferido pelos desgostos de quem se deixa absorver por ele… As janelas choram gotas de água secas, marcadas no … Mais Bailado entre linhas

Avalie isto:

Saudade

  Saudades vão, saudades voltam, Como ondas de espuma que contra a costa se revoltam E recolhem para o mar, Para outrora voltar.   São como o predador Que sai à rua para caçar, Ele a correr tropeça, E mesmo se ela lhe foge, Volta sempre a atacar.   Saudades são como o rio Que … Mais Saudade

Avalie isto:

Epifânia

  Acordei mais uma vez, mas não apenas outra… mudei… estou diferente… segundo o que se diz por aí nesse mundo de vermes que rastejam como eu dentro de sorrisos vestidos, depois de adulto já não se cresce, mas tenho a sensação que a minha alma cresceu, os anjos saltaram felizes da cama para fora … Mais Epifânia

Avalie isto:

Desespero

  A porta range, como quem geme de puro rancor, entro no quarto, no ar um abafo, por entre o cheiro a licor… roupas pelo chão… escondendo a tristeza… Olho pela janela, entre gotas de chuva que os anjos vão chorando, vejo nas estrelas o reflexo do teu olhar… Mergulho em pensamentos… e deixo-me afundar… … Mais Desespero

Avalie isto: