Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

INÊS MARTO

INÊS MARTO

Alquimia

És cisne negro, garra, estilhaço...
Leoa, espelho, vulcão, abraço...
Trespassa-me o corpo, musa, sereia,
Veias de fogo, alma de lua cheia.

E quebra-me em pedaços sem fim, então
Solta as amarras, liberta-me o coração...
Vertigem, suspiro, poema alado,
Instinto escondido, desejo amordaçado.

Leva de mim a pele já gasta,
Beija, morde, sente, rasga...
Desnuda-me então, sem olhar ao tempo,
E deita no chão o corpo, desfeito...
Invade sem medo o templo do peito,
E vê como corre o sangue o suor...
É poema, é mistério, alquimia... é amor.