Sonho e sal

Chegaste sem avisar
Como uma onda do mar,
Matéria de sonho e sal,
E ancoraste este amor
Feito sede do licor
Da tua essência fatal.

Minha existência pesada
Perdeu o norte e a estrada,
Já não posso naufragar,
Pois, num quente desvario,
Entreguei o meu navio
À sorte de te encontrar.

E ao navegar em mar bravo,
Digno de um fado cravo,
Poço sem fundo nem chão,
Descobri um novo cais,
Infinitos areais
Da praia desta paixão.

E o soar das guitarras,
Saudade em som sem amarras,
Chorado caleidoscópio,
Está para o fado, assim
Como te fizeste em mim
Sangue, quimeras e ópio.

Anúncios

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s