Inconstante…

Pirata sem rumo, sem leme, sem vela. O tempo desfaz-se em fumo, no casco da caravela…

Ficam promessas, desabafos, amarguras, exageros… ficam linhas sem sentido e rimas desfeitas sem razão… ficam palavras sem nexo, para esconder a solidão. Escreve-se por razão nenhuma, e sem nada para dizer… é ritual, é raíz, estranha forma de viver…

E confessam-se pequenos nadas em arabescos deformados, libertam-se mágoas em silêncios suspirados…

E está na ponta dos dedos o cofre, a chave a alma… o desejo, a calma… o sangue, o sonho, o núcleo…

Ficam nos textos quebrados os pedaços do que sou…

Pseudo-esquizofrenia, loucura, patologia, arte, alucinação…
Esperança ténue, poesia, retalhos de asas, solidão… 

Anúncios

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s