Contra o tempo…

Fora de horas surgem palavras sem nexo… necessidade, vulcão, impulso, alucinação…
Contra o tempo caem lágrimas, jorram versos, choram-se linhas sem fim nem poesia.
Abafam a solidão os momentos de loucura..

A chama da criação é feita caminho de sentido único: a esperança de preencher um vazio, de acender a pele em faúlhas de absurdos sonhados, de trazer de volta o som, o sonho, a vida…

Palavras desconexas caem como gotas pela face… as mãos, envoltas em amarguras passadas, deixam-se ir sem pensar…

A ritmo mecânico tudo sai… ritual de encantos sem explicação…

É poesia quebrada, é verso branco, partido
É rima pobre, apagada… desabafo sem sentido.

É o correr de linhas vãs, sem rumo, esperança, ilusão
É refúgio, sono fugaz de alma caída no chão…

Anúncios

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s