Interrogações amorfas…

Image
From: http://highestcommondenominator.tumblr.com/ (edited)

Que é das flores, tão perfeitas na sua matemática precisão e enigma natural? Que nos prendem a alma e o olhar, de delicadeza espontaneamente esculpida por um destino já escrito, ao longo de tantos séculos poeirentos de existência desta mão que controla a marioneta que é o mundo… Que nos fazem desejar, ainda que apenas por um momento, ser não-pensantes, não sentir, não saber – e ainda assim, pela simples magia natural de existir e apenas estar, cativar e deslumbrar sem esforço…

Que é dos pássaros, majestosas criaturas? De uma fragilidade intrínseca que os torna encantadores… Que nos fazem perder em pensamentos, desejando em vão voar… Que saboreiam a vida pelo mais belo que ela tem: o vento acaricia ao de leve as penas, sussurrando-lhes à alma belos poemas de amor, os olhos semicerrados vêem o mundo de cima… e planam, livremente, no imenso azul do céu… São bailarinos aéreos, prenúncios de liberdade… Quais brisas incorporadas em cada voo fugaz da vida…

Que é da chuva? União de pequenos-nadas que enfrentam sem medo o mundo… Que cortam o céu, que rasgam as nuvens. Que caem perpetuamente em ensurdecidos “baques” no asfalto, sem rede, sem ensaio, sem medo de errar… Pequenas gotas sem escolha, de destino único e repentino… Corajosas e determinadas infimidades molhadas num todo belo chorar celestial…

Que é das estrelas? Pequenos-enormes pontos feitos esperança e desejo… Naturais maravilhas, caleidoscópios de espelho único… enigmáticas, magnéticas, inspiradoras… Depósitos de angústias, de mágoas nocturnas, poços de segredos deixados à lua… Quais grãos de areia numa enorme praia sem fim…

Que é do mar? Revolta beleza, misto de encantos: Guerreiro, Romeu, sonho e espelho do céu… Refúgio, abrigo, montanha-russa, mascarado… Tudo-nada, roleta, teatro… Jogo duplo de sortes, maravilha sem igual… Qual azul-infinito, ponto de interrogação.

E que é de mim?

Flor, pássaro, chuva, estrela, mar…

Espontânea, frágil, bailarina de palavras, fugaz… poema, sonho, ilusão… Pequena gota de vida, sem-destino… Esperança, poço de segredos, desejo de espelho unicamente talhado, grão de areia, infinitésimo… Guerreira sem escolha, mascarada, tudo-nada, teatro… amorfo e mutável ponto de interrogação…

Anúncios

3 comentários sobre “Interrogações amorfas…

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s