Metamorfose Interior

“Vive para o presente, sê feliz primeiro contigo mesma. A companhia dos que amas é uma dádiva, faz por merecê-la, mas não dependas absolutamente dela.” dizia ela a si mesma… Encontrava-se, assim, numa súbita necessidade de análise moral e comportamental, numa imensa sede de recomeço, numa (tanto ou quanto bamba) vontade de despir esta pele com o peso dos dias, deixar de lado o passado e, na bagagem, levar apenas a aprendizagem destes atribulados voos, lutando com unhas e dentes, focada num futuro incerto, mas que esperava sempre melhor que o ontem e pior que o amanhã…

“Tens de aprender a aceitar-te” repetia ela baixinho nos pensamentos… “Não te preocupes tanto, confia em ti e nas tuas decisões.”. E à medida que escrevia, arrumava gavetas dentro de si, na esperança de crescer e ganhar um pouco mais dessa essência de ser gente. “Há que dar tempo ao tempo… a luta consiste em dar o teu melhor, a partir do momento em que tiveres na consciência apenas a leve brisa da tranquilidade, será o que tiver de ser.”. Escrevia aos poucos, sem pressas, realmente concentrada nas palavras que por dentro.

“Aprende a amar-te, mesmo que seja este um dos mais difíceis pontos a cumprir, acredita que haverá quem goste de ti, além de obrigações ou piedade, pelas coisas boas que tens, ainda que não as reconheças para já.”. Todas estas palavras lhe soavam estranhas, distantes da realidade, utópicas e muito difíceis de cumprir… Não compreendia se quer porque as dizia ela a si própria… Contudo sabia que as devia ouvir e interiorizar, e usava a escrita como meio.

“Faz da tua pele um refúgio para as angústias, e um palco de comemoração das vitórias” … “Perde o medo de te exprimir, pelo menos de vez em quando, solta as amarras desse navio rumo à Terra do Nunca. Solta o grito tribal e faz palhaçada sem olhar para trás, quando for caso disso.”

Tentava realmente auto-melhorar-se, para bem de si e dos outros, acreditava que os novos começos não precisavam de ter datas especiais, nem festas comemorativas, era preciso sim reconhecer os erros, e encher-se dessa força de ferro que por vezes a assaltava de rompante, e enquanto ela durasse, avançar para a montanha russa da vida e deixar-se ir.

“Finalmente, deixa-me dizer-te que estou orgulhosa de ti, pelo que passou, mas mais ainda pelo que pode vir a acontecer enquanto manteres essa força e vontade de continuar.”

 

*

A ESTA PESSOA, ESTE ESPÍRITO, ESTA PERSONAGEM, ESTE ALGUÉM MEIO FANTASIOSO – MEIO REAL, A ESTE CONJUNTO DOS PEDAÇOS DE VIDA QUE QUEM AMO VAI DEIXANDO EM MIM, ESPERO QUE ME ACOMPANHE(M) SEMPRE, OU PELO MENOS DURANTE MUITO TEMPO. EXISTE MUITA COISA EM MIM QUE GOSTAVA DE MUDAR, MAS ISTO NUNCA. OBRIGADA.

Anúncios

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s